Quero desejar menos, entregar menos, mas meu coração nao sabe escolher, ainda se põe a frente do império romano para te defender do mundo, que não te enxerga como te vejo, quero evitar entregar a ti a minha alma, mas sinto que já é tarde, pois meu coração mais uma vez me traiu e a ti decidiu proteger, e guardar no canto mais quente e de maior pulsação, ele também decidiu quem manda e mesmo eu afirmando não, ele já te aceitou e te transformou no rei de todo reino.

Queria eu poder beijar você, sentir sua pele encostar na minha, seu suor encontrar com meus poros desejosos, simplesmente desejando, o teu sentir, o teu tocar, e meu corpo com um simples toque domar e tomar para você, embebedar-me de você e assistir na mais pura sincronia o dançar dos corpos e o entregar das almas em um so ato e entrega.

Vivo em constante mudança, passando por grandes desafios e batalhas internas, que poucos sabem mas que não me entendem como isso é possível, já que sou extrovertida, consigo arrancar sorrisos, como isso é possível, bem isso acontece por eu ter tido um passado cruel, que me fez ser adulta e dura, para me preparar para um futuro que também é cruel e nao alisa só bate, então por vezes tive que esconder a tristeza e sorrir para que ninguém tentasse se aproveitar daquele momento de fragilidade, e eu ainda me pergunto, por que negligênciam uma infância? Eu mesmo tenho a resposta vendo que isso aconteceu pela fragilidade do momento e incapacidade de abadonar velhos hábitos e não se importar com o poderia e ainda pode acontecer, no meu vê não se justifica abandono, nada justifica.

Você vive anos com alguém, e esse alguém se torna um estranho, depois começam a tropeçar de vez em quando na mesma casa, dividem a mesma cama, e por fim acordam juntos, sem lembrar a última vez que juraram amor, em uma noite fria e estrelada. Afinal ninguém lembrou de admirar, nós estavamos ocupados e mesmo com tempo de sobra, ainda sim, não admiramos o brilhoso espetáculo estrelar nós céus.

Crie um novo site no WordPress.com
Comece agora